Notícias

Voltar

9 problemas de saúde que se manifestam pelos olhos

De infecções a tumores, muitas são as doenças que se manifestam pelos olhos. Conheça algumas e saiba o que fazer para proteger sua visão e o resto do corpo.

13/05/2019 12:44:00
Imagem: Pixabay

Olhos vermelhos, visão embaçada, desconforto visual… nem sempre essas chateações estão relacionadas a problemas nos olhos. As janelas da alma também ajudam a identificar sinais de que há algo de errado no organismo. E, se nada for feito a tempo, a visão corre sério risco de perder a nitidez — ou até apagar de vez.

Veja, abaixo, nove problemas de saúde que podem revelar sua presença no corpo através dos olhos:

1. Diabetes

Os globos oculares sofrem quando a taxa de açúcar no sangue permanece elevada — um traço típico dessa condição, em especial quando descontrolada. Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, seus portadores chegam a ter uma probabilidade 25 vezes maior de perder a capacidade de enxergar.

Aqui, um grande vilão é a retinopatia diabética, que acomete acima de 75% das pessoas que convivem com a glicemia elevada há mais de 20 anos. Caracterizada por danos nos vasos sanguíneos que irrigam a retina, ela começa com pontinhos pretos na visão e pode terminar em cegueira. O diabetes também aumenta em 60% o risco de catarata, que embaça a visão.

Para evitar esses estragos, o indivíduo deve controlar a glicose e se consultar com profissionais regularmente.

2. Toxoplasmose

Estamos falando da invasão do parasita Toxoplasma gondii, encontrado, por exemplo, nas fezes de gatos ou em alimentos mal higienizados. Em adultos, ele pode deflagrar febre, cansaço, coriza, caroços no pescoço… e, depois de um tempo, sintomas nos olhos. São eles: dor, vermelhidão, aparecimento de pontos flutuantes no campo visual e aversão à claridade.

Essas consequências surgem em decorrência de uma inflamação na retina que, em situações avançadas, provoca uma cicatriz capaz de cegar. Daí por que é fundamental procurar o médico ao primeiro sinal suspeito. Nos quadros iniciais, a solução em geral não é complexa e envolve só antibióticos.

3. Doenças reumatológicas

Embora muito associadas a incômodos e deformidades nas juntas, elas não raro afetam os olhos. Isso porque encrencas como a artrite reumatoide são autoimunes. Nesse contexto, as células de defesa atacam estruturas do corpo — e os protagonistas da reportagem não são exceção.

“Quando o primeiro sintoma não é dor articular, é uma alteração na visão”, destaca o reumatologista Marcelo Pinheiro, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Desconfie de vermelhidão, coceira, sensibilidade à luz e secura.

Cuidando do problema de base sem demora, os sintomas tendem a sumir.

4. Câncer

Há tumores que surgem nos olhos, como o retinoblastoma. Mais presente na infância, ele atinge cerca de 400 crianças por ano no Brasil e acarreta um reflexo branco na pupila que é observado ao irradiar uma luz artificial no globo ocular. O diagnóstico precoce catapulta as chances de cura e preservação da visão — o teste do olhinho auxilia nesse sentido. Mas o elo entre oftalmologia e oncologia não para por aí.

O câncer de hipófise, ao crescer, espreme o nervo óptico, responsável por levar as informações visuais para o cérebro. E há ainda casos em que um tumor aparece em um local (nas mamas, no pulmão, na pele…) e, então, espalha-se para os olhos.

O tratamento depende de cada situação. Cirurgia e químio são algumas das estratégias.

5. Doenças sexualmente transmissíveis

Poderíamos citar várias, mas ficaremos em duas: aids e sífilis. Na primeira, a queda de imunidade faz com que inimigos oportunistas, como citomegalovírus e herpes, danifiquem até os olhos. Dor, dificuldade pra enxergar e vermelhidão merecem investigação.

No mais, o déficit imune abre as portas para o sarcoma de Kaposi, um câncer que às vezes se instala no órgão da visão. Ainda bem que, com tratamento adequado, tais consequências são raras hoje em dia. “A evolução dos antirretrovirais possibilitou um melhor controle do HIV”, comemora Celso Granato, infectologista do Fleury Medicina e Saúde.

A bactéria da sífilis, por sua vez, é capaz de cair na circulação e desembarcar nos olhos. E um estudo da Universidade de São Paulo sugere um aumento nos episódios de cegueira no Brasil causado pela infecção. Para prevenir, use camisinha.

6. Dengue, zika e chikungunya

Cada uma delas possui suas complicações, porém todas se manifestam de alguma forma no olho, segundo Granato. Tanto dengue quanto chikungunya costumam originar dores atrás do globo ocular como um dos sinais iniciais. Já na infecção por zika, cerca de 50% dos infectados têm conjuntivite.

O diagnóstico é firmado por meio de uma avaliação do médico, com apoio de exames laboratoriais. Conforme esses vírus, transmitidos pelo mosquito Aedes Aegypti, são debelados pelo corpo, os sintomas que descrevemos tendem a desaparecer.

7. Tuberculose

Em um primeiro estágio, suas manifestações estão mais atreladas aos pulmões (tosse, falta de ar…). Só que, com o tempo, o bacilo de Koch, bactéria por trás da tuberculose, consegue fixar moradia no globo ocular. Normalmente, o paciente se queixa de fotofobia, lacrimejamento, desconforto e baixa percepção visual.

Como se safar de todos esses estorvos? Com detecção precoce e adesão aos medicamentos prescritos pelo especialista, que deverão ser tomados por um tempo considerável para livrar o organismo da doença. Aqui, a negligência pode terminar em cegueira.

8. Males neurológicos

O nervo óptico, localizado no fundo da retina, é uma extensão do cérebro. Ou seja, quando a massa cinzenta sofre com alguma coisa, é possível que o olho acuse. Prova disso é o embaçamento súbito da visão após um AVC.

O neurologista Denis Bichuetti, da Unifesp, ressalta que certas anomalias na retina chegam a antever um derrame meses antes. Mas, para pegá-las a tempo de intervir, só indo ao médico mesmo.

Ainda no mundo da neurologia, cabe lembrar da esclerose múltipla, distúrbio autoimune que é uma importante causa de alterações na vista antes dos 40 anos. A sensação de visão turva ou dupla vai e vem de acordo com as crises e o tratamento.

9. Problemas no fígado

Está na boca do povo: se o olho fica amarelado, o fígado anda de mal a pior. Por quê? Danos nesse órgão levam a um acúmulo de bilirrubina, que passa a trafegar pelos vasos sanguíneos até desembocar no globo ocular. E essa substância tem cor… isso mesmo, amarela.

As hepatites virais e a alcoólica, por exemplo, podem ser flagradas por causa dessa mudança na tonalidade — mas a verdade é que, quando pintam o olho, elas provavelmente já deterioraram bastante o fígado.

A boa notícia é que a mudança na tonalidade não significa que a visão vai anuviar dali um tempo. Controlando os estragos hepáticos, o branco volta a imperar.

O checkup dos olhos

Ficou claro que ir ao oftalmo é uma ótima tática para preservar a saúde como um todo, certo? Pois bem: há uma indicação genérica de marcar uma consulta com ele todo ano, porém isso varia demais. Pessoas com certas condições necessitam de vistorias mais frequentes, enquanto outras podem espaçá-las.

Para definir a periodicidade, fale com o doutor. E, ao suspeitar de qualquer sinal, não demore a buscar apoio. “É vital descobrir quais doenças causam os sintomas”, afirma Rony Preti, oftalmologista da Universidade de São Paulo e do Preti Eye Institute.

Fonte: Saúde é Vital
Edição: C.S. 

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Nossos Programas