Como Chegar Lá

Voltar

Você já teve uma crise de ansiedade?

As crises de ansiedade ganham posto de um transtorno psicológico quando os sintomas apresentados são muito intensos, frequentes e paralisam o indivíduo

03/04/2017 08:36:00

A Ansiedade, diferente do que muitas pessoas pensam, é uma resposta adaptativa do organismo e, assim como o medo, a raiva e o nojo, é uma emoção que nosso organismo enfrenta sempre que precisamos sair da nossa zona de conforto e passar por situações novas e desafiadoras ou quando estamos expostos a algum perigo, seja esse real ou imaginário.

As crises de ansiedade ganham posto de um transtorno psicológico quando os sintomas apresentados são muito intensos, frequentes e paralisam o indivíduo, causando prejuízos significativos em várias áreas da sua vida, por exemplo: deixar de apresentar um trabalho ou ir a uma entrevista de emprego por causa dos sinais de ansiedade ou evitar situações novas por acreditar que terá um baixo desempenho, ou mesmo que será ridicularizado pelas pessoas.

Sintomas característicos de ansiedade:

Físicos:

Cólicas intestinais, dor de cabeça, aceleração do ritmo cardíaco, sudorese, tontura, enjoos, respiração superficial, tensão muscular, dificuldade para dormir, irritabilidade entre outros.

Psicológicos:

Tristeza, raiva, medo, angustia, preocupação constante, insegurança, falta de humor, ressentimento e dor.

O aparecimento dos sintomas de ansiedade está diretamente ligado a forma que interpretamos os eventos e as situações que se apresentam em nossa vida, influenciadas pela maneira que pensamos, ou seja, se eu penso “que vai ser muito difícil e não vou conseguir”, esse modo de pensar gera emoções como ansiedade, medo e sensações de incapacidades, fazendo com que a pessoas tenha comportamentos de fuga e esquiva das situações. Esse ciclo alimenta e mantem os sintomas prejudiciais da ansiedade.

Alguns passos ajudam a enfrentar de maneira positiva uma crise de ansiedade:

1. Reconheça sua ansiedade

- Identifique o evento causador da ansiedade (Gatilho);

Em quais situações a ansiedade acontece? Como surgem?

2. Respire! E aceite sua ansiedade como mais uma emoção passageira

Feche os olhos, concentre-se na sua respiração, visualize a ponta do seu nariz, imagine que quando você inspira entra pelo seu nariz um feixe de luz vermelho, quando você expirar imagine um feixe de luz azul saindo do seu nariz, quando sentir que seu grau de ansiedade diminuiu abra os olhos.

3. Observe os seus pensamentos

Alguns questionamentos podem ajudar: O que passou por minha cabeça que vez eu ficar assim? Será mesmo verdade? Que provas eu tenho que isso vai acontecer? Que pontos positivos eu não estou considerando?

4. Procure ter pensamentos mais funcionais

Exemplo, pensamento disfuncional: Todo mundo vai rir de mim, quando eu começar a apresentar o seminário.

Pensamento funcional: Eu estudei e montei o que vou falar, todo mundo que está aqui sabe menos que eu.

5. Mude o foco para outra atividade que te de prazer e satisfação

Exemplos: Escute uma música, observe as pessoas ao seu redor, converse com alguém.

6. Se os sintomas persistirem por muito tempo e com um grau de intensidade muito alto, procure ajuda profissional, consulte um psicólogo ou um psiquiatra.



Giovanna Costa

Psicóloga – Programa Saber Viver

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

CAPTCHA AQUI

Nossos Programas