Como Chegar Lá

Voltar

Açúcar: existe mesmo algum tipo mais saudável?

Com relação aos tipos de açúcar que se encontram à venda no mercado, a variedade é enorme, e por isso acaba surgindo aquela dúvida – qual o melhor para a saúde?

17/07/2017 14:36:00 - Postado há 3 dias

O consumo excessivo de açúcar pode ser considerado um dos principais motivos do aumento de doenças crônicas, como: obesidade, diabetes, dislipidemias e até mesmo câncer. Esse consumo elevado não é referente somente ao açúcar de mesa convencional (cristal, demerara, mascavo...), mas também ao consumo excessivo de produtos industrializados como biscoitos, refrigerantes, alguns iogurtes, carnes processadas, molhos, cereais matinais, sucos de caixa e até mesmo em alguns produtos diet e light.

O consumo do açúcar é um dos principais contribuintes para o desenvolvimento do Diabetes, podendo gerar a resistência à insulina que está associada com hiperinsulinemia, uma condição que pode promover o armazenamento de gordura abdominal, aumentar os níveis de triglicérides e a esteatose hepática (gordura no fígado).

O açúcar possui várias formas, origens e denominações. Os que estão adicionados aos produtos alimentícios são os menos conhecidos e os mais prejudiciais à saúde, são eles: sacarose, frutose, glicose, xarope de glicose, xarope de frutose, glicose, xarope de milho, açúcar invertido, dextrose, dextrina e maltodextrina.

Com relação aos tipos de açúcar que se encontram à venda no mercado, a variedade é enorme, e por isso acaba surgindo aquela dúvida – qual o melhor para a saúde?

Açúcar cristal e refinado são os piores tipos, os mais processados e, por isso, perdem todos os nutrientes, esse ultimo ainda tem adição de produtos químicos para deixá-lo com a cor mais branca.

O mascavo é o menos processado, retirado logo após o cozimento da cana, retém mais cálcio, magnésio, ferro e potássio. Assim como o demerara, a diferença é que esse tem um sabor menos acentuado. O orgânico é bem parecido com o mascavo, porém é feito a partir de cana cultivada sem agrotóxicos e sem prejudicar o meio ambiente.

O açúcar de coco se diferencia por ser derivado da seiva da palma (e não da cana como os outros tipos), além disso, tem sido dito que ele tem um índice glicêmico menor que os outros, porém não existem estudos suficientes que comprovem essa informação. No entanto, assim como o mascavo, ele contém um valor nutricional melhor, por conter mais minerais.

Pode-se observar que a diferença entre os tipos de açúcar está principalmente no refinamento e, consequentemente, conservação de alguns minerais, no entanto o açúcar não deve ser utilizado como alimento fonte desses nutrientes, visto que as frutas e vegetais são muito mais ricas e mais benéficas à saúde. Além disso, a quantidade calórica e os efeitos negativos no aumento da glicemia são iguais em todos eles.

As recomendações da OMS em relação ao consumo de açúcar foram reduzidas de 10% para 5% do total das calorias diárias. Isso inclui todo o consumo de glicose, sacarose e frutose.

A dica para dosar o consumo desses ingredientes prejudiciais à saúde é aprender a apreciar os alimentos, sucos, café em sua forma natural; é acostumar o paladar a uma menor quantidade de açúcar, pois uma pequena quantidade associada a uma dieta saudável não deve fazer mal. Quanto aos industrializados, é ficar de olho no rótulo dos alimentos, que estão dispostos em ordem decrescente de quantidade. Caso o açúcar esteja entre os três primeiros da lista significa que este alimento possui alto teor açúcar adicionado, devendo ser consumido raramente.

Fonte: Layane Carin – Nutricionista Saber Viver

Edição: A.N.

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

CAPTCHA AQUI

Nossos Programas