Prontomed Infantil

Tamanho da fonte: a- A+

Publicado em: 21/02/2008

Algumas doenças são comuns diante das atuais mudanças climáticas

Dr. Carlos Flávio, pediatra do Prontomed Infantil
Atualmente, percebe-se em Teresina temperaturas bem mais agradáveis, um tanto diferentes do calor com o qual a população está “acostumada” a viver. Porém, o momento requer atenção, uma vez que, em virtude das mudanças climáticas, alguns problemas de saúde tornam-se mais freqüentes neste período do ano, fazendo como principais vítimas as crianças.

As crises respiratórias, por exemplo, tornam-se mais comuns nesta época. Segundo o Dr. Carlos Flávio, pediatra do Prontomed Infantil, “diante das mudanças bruscas de temperatura ou de umidade do ar, ocorre uma facilitação as doenças virais, principalmente a gripe. Em crianças portadores de doença alérgicas respiratórias também pode ter um aumento de crises nesse período, como a rinite aguda e a asma”, afirma.

Nesses casos, as crises muitas vezes vêm acompanhadas por um quadro de desidratação. Isso ocorre, de acordo com o pediatra, por conta da falta de alguns cuidados básicos no momento em que a criança começa a apresentar febre.

“Muitos pais deixam de alimentar e de dar líquidos à criança com febre. No entanto, mesmo que esta não apresente outro sintoma como o vômito (que elimina muito líquido), ela passa perde mais água pela transpiração e respiração, que ficam mais intensas”, explica o médico.

Diarréia
Este é outro problema que vem afetando a saúde de muitas crianças em Teresina. “A transmissão da diarréia é uma transmissão fecal-oral. O fato pode ser explicado através do aumento da incidência das chuvas e da conseqüente que de temperatura, o que facilita a proliferação de insetos voadores, no caso, as moscas. “Estes transmitem doenças pelo simples fato de pousarem em locais sujos e, em seguida, no alimento”, ressalta, ao explicar que a forma mais comum de contrair a diarréia se dá por meio da ingestão de alimentos contaminados.

Dr. Carlos Flávio alerta que tais problemas podem ser constatados pelos próprios pais, que devem observar os filhos sempre com muito cuidado para tomar as providências e leva-los ao médico, caso necessário. Nesse sentido, merecem atenção os seguintes aspectos:

- Febre: por ser um mecanismo de defesa do organismo, este é um sintoma sempre indica algum problema, embora este não seja grave;
- Diurese: é importante observar a urina da criança, tanto a freqüência (regular ou não) quanto a coloração. A diurese tem que ser abundante, com urina clara.
- Choro: criança que chora sem lágrima pode ser sinal de desidratação.
- Saliva: uma criança que apresenta boca seca, saliva espessa e lábios ressecados pode estar desidratada.
- Olhos: a face é outro indicador do problema, principalmente os olhos. Se estes estão fundos, pode ser um sinal importante de desidratação.

Portanto, é fundamental manter a criança sempre bem hidratada, com a ingestão de líquidos, especialmente a água, e bem alimentada, com refeições à base de frutas e verduras, sem esquecer de manter a limpeza e higiene dos alimentos.


Dayanne Holanda
21.02.2008


[x] Fechar






[x] Fechar





Comentários

    Nenhum Comentário Cadastrado.

Rir é o Remédio