Vida Legal

Tamanho da fonte: a- A+

Publicado em: 09/03/2009

Pé na tábua! Saiba porque é tão bom correr!

Definitivamente, correr virou uma mania entre os malhadores de carteirinha e aqueles que se preocupam em manter a saúde em dia. Basta observar o movimento nos parques e nas ruas das principais cidades brasileiras, no início das manhãs e nos fins de tarde, para constatar o quanto a modalidade se popularizou. Sem falar no grande número de pessoas que disputa as esteiras das academias diariamente. Mas, o que fez desse esporte uma mania?

Alguns creditam o sucesso à sua praticidade, pois é uma atividade que pode ser praticada em qualquer lugar e não exige equipamentos, basta um tênis apropriado e um short. Outros apostam na sensação de liberdade proporcionada e no custo zero.

O fato é que essa febre tem gerado bons frutos, pois muita gente vem descobrindo, com a corrida, mais do que uma oportunidade de descarregar a tensão do dia-a-dia ou deixar as pernas fortes e torneadas e o abdome definido.

Acelerar garante uma série de benefícios à saúde. "entre eles estão o extermínio das gordurinhas extras - a cada hora de atividade rápida são queimadas cerca de 800 calorias -, o aumento da resistência, o fortalecimento dos ossos, a diminuição das taxas do diabetes, a normalização da pressão arterial e melhora da função cardíaca", explica o personal trainer e treinador de corrida Fábio Jabur (SP).

Preparar... vai!
Se você não quer fi car de fora e decidiu se lançar na corrida, por mais contraditório que pareça, é preciso ir devagar. Sim, você vai correr, mas comece em ritmo lento, alternando caminhada com trotes e aumentando a distância progressivamente.

"O ideal é que a pessoa inicie com um treino preparatório, que dure umas 12 semanas", orienta Fábio. Segundo ele, depois das três ou quatro primeiras semanas, que são de adaptação e devem contar, preferencialmente, apenas com caminhada, começa um programa de corrida com intervalos.

Com a evolução do treinamento, você vai ficar mais motivada a superar suas marcas, o que funciona como um ótimo incentivo. Vale lembrar que tudo isso só pode ser feito depois de uma visitinha ao médico, para saber se o corpo está preparado para o esporte.

É recomendado ainda alternar dias de treinamento, assim como a intensidade. A combinação da corrida com exercícios de alongamento e musculação para um resultado mais eficiente também faz parte deste pacote.

Acerte a postura
Durante a corrida, é imprescindível manter o corpo alinhado. Você já deve ter observado a elegância de alguns atletas experientes durante as provas. eles se movimentam com graça e são econômicos nos gestos. Um estilo incorreto pode ocasionar tensões desnecessárias e lesões.

Não caia sobre os calcanhares nem sobre os dedos. Corra apoiando todo o pé e logo impulsione o corpo para frente desde os calcanhares até os dedos.
Passadas rápidas e encaixadas movi mentam melhor a região glútea.
Mantenha os joelhos um pouco dobrados de modo que o impacto seja parcialmente absorvido. Quanto aos braços, eles têm função importante durante o exercício, pois auxiliam no equilíbrio e na impulsão da corrida. Conserve-os em um ângulo de 90 graus aproximadamente, deixando-os o mais próximo possível do corpo, e movimente-os para frente e para trás ao correr. Durante todo o trabalho, a musculatura abdominal deve estar contraída, os ombros relaxados, a coluna alinhada, os quadris encaixados e o queixo paralelo ao chão.

De olho na pisada
Difícil não se deixar seduzir pelo design e pelos itens high-tech dos tênis. Mas, antes de comprar o primeiro modelo que lhe encher os olhos, olhe bem para seus pés e, em seguida, passe para a experimentação, andando e até pulando pela loja. O uso de um tênis inadequado pode levar o praticante de corrida a desconfortos, dores musculares e articulares e até a lesões.

Veja mais dicas:

- Teste o tênis e sinta se não aperta os pés. Aquela história de "só está pegando um pouquinho" vira uma tortura após alguns minutos de corrida. O calçado deve ser do tamanho do maior dedo do pé, que nem sempre é o dedão.

- Identifique o tipo de pé e de pisada. Fique atenta à presença de reforço na lateral do solado, geralmente feito em material com cor e textura diferentes. Para pés que forçam para dentro (pronação), o ideal é comprar tênis com suporte reforçado na lateral interna para compensar o andar. Pés que pisam para fora (supinação) merecem tênis com reforço na lateral externa.

- Alguns especialistas também defendem a importância de se respeitar o formato da sola do pé. Se o arco plantar (a parte côncava do pé) encosta no chão - pé chato -, é preciso usar um tênis com palmilha plana ou levemente curva. Já o pé cavo (arco elevado) faz menos contato com o solo e absorve menor impacto; por isso adapta-se melhor a solados curvos.

- Seu tênis também tem prazo de validade. Toda a tecnologia para absorção de impacto se perde com o tempo. A eficácia do sistema de absorção começa a diminuir a partir de 400 km "rodados". Ou seja, uma pessoa que treina corrida de três a cinco vezes por semana, por cerca de uma hora e meia, deveria trocar o tênis a cada cinco ou seis meses.

- Para não gastar muito com um produto de vida útil curta, uma boa sugestão é comprar modelo de coleções passadas, que são bem mais baratos do que os lançamentos.


Fonte: Dieta Já
Edição: F.C.
09.03.2009


[x] Fechar






[x] Fechar





Comentários

  • CAROL disse: Comecei a correr nessa segunda feira e resolvi pesquisar sobre o assunto. N?me considero gorda e n?tenho tend?ia a obesidade, por?me preocupo muito com meu corpo (e me orgulho disso!). Ler estes artigos me deixou muito mais motivada. Adorei o site de voc? se for possivel gostaria muito de receber e-mails com dicas de sa? BEIJOS E MUITO OBRIGADA!!!


Rir é o Remédio