Notícias

Voltar

O cérebro que se transforma: Como a neurociência pode curar as pessoas

O cérebro humano pode modificar-se sem o uso de cirurgias ou medicamentos?

18/09/2012 08:28:29
O livro "O cérebro que se transforma" mostra a mais recente novidade em relação ao cérebro humano. O cérebro humano pode modificar-se sem o uso de cirurgias ou medicamentos. Os casos reais descritos no livro revelam uma capacidade até então desconhecida. Até pouco tempo acreditava-se que as pessoas que nasciam com limitações cerebrais ou mentais ou que sofressem danos cerebrais, ficariam limitadas ou prejudicadas pelo resto da vida.

O pesquisador Normam Doidge mostra no livro várias pessoas que conheceu no curso de suas viagens. Doidge conheceu um cientista que fazia pessoas com cegueira congênita enxergar.... outro que possibilitava que surdos ouvissem, conheceu pessoas com distúrbios de aprendizagem que foram curadas cujos QI's aumentaram, entre vários outros casos.

A revolução neuroplástica tem implicações para nossa compreensão de como o amor, o sexo, as frustrações, os relacionamentos, o aprendizado, os vícios, a cultura, as tecnologias,  as psicoterapias, entre outros mudaram nosso cérebro. 

Contudo a neuroplasticidade não traz somente boas notícias, pois além de prover nosso cérebro de mais recursos, também o torna mais vulnerável a influência externas.

O cérebro se modifica. Ele é um órgão plástico, vivo e pode de fato transformar as suas próprias estruturas e funções, mesmo em idades avançadas. A neuroplasticidade ? uma das descobertas mais revolucionárias desde que os cientistas desvendaram os primeiros esboços da anatomia básica do cérebro ? promete derrubar a noção ultrapassada de que o cérebro adulto é rígido e imutável. A neuroplasticidade não apenas dá esperança àqueles com limitações mentais, ou com lesões neurológicas consideradas incuráveis, mas também expande nosso entendimento da saúde do cérebro. Norman Doidge, psiquiatra e pesquisador, estabelece uma investigação da neuroplasticidade e apresenta tanto os cientistas que estão dominando essa área quanto as pessoas cujas vidas foram melhoradas por esses estudos.

O cérebro que se transforma apresenta casos que detalham o progresso surpreendente de pacientes, como uma mulher que nasceu com apenas metade do cérebro, mas que conseguiu se adaptar e levar uma vida normal; uma mulher rotulada como doente mental, que curou suas deficiências e agora ajuda outros a fazerem o mesmo; pessoas cegas que voltaram a enxergar; dificuldades de aprendizagem curadas; recuperação de pacientes que sofreram derrames; depressão e ansiedade crônicas que desapareceram, entre outros casos.

Doidge nos leva a um território que parece fantástico. Aprendemos como nossos pensamentos podem ativar ou desativar nossos genes, alterando a anatomia do cérebro. Vemos como os cientistas desenvolveram máquinas que podem acompanhar essas mudanças físicas para ler os pensamentos, permitindo que uma pessoa com paralisia controle computadores e aparelhos eletrônicos. E verificamos como uma pessoa com uma inteligência mediana pode, com exercícios, aumentar seu poder de cognição e percepção.

Por meio de intrigantes histórias pessoais, Doidge explora as profundas implicações do cérebro que se transforma para entender os mistérios do amor, da atração sexual, do gosto, da cultura e da educação, em um livro comovente e inspirador que vai alterar a maneira como entendemos as possibilidades humanas.


Norman Doidge é psiquiatra, psicanalista e pesquisador do Columbia University Center for Psychoanalytic Training and Research em Nova York e do departamento de psiquiatria da University of Toronto.

Fonte: nomundoenoslivros.com
Enviada por JC
Edição: F.C.
18.09.2012

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Nossos Programas