Notícias

Voltar

Insônia pode ser causa (e não sintoma) da depressão

Segundo um novo estudo, pessoas que receberam tratamento contra a insônia tiveram 20% menos chances de desenvolver depressão e ansiedade

12/09/2017 13:46:00

Quem tem dificuldade para dormir à noite pode estar em maior risco de desenvolver depressão e ansiedade. De acordo com um novo estudo publicado no periódico científico The Lancet Psychiatry, a insônia, que antes era vista como sintoma, pode ser, na verdade, a causa dessas doenças.

O estudo

No estudo, cerca de 3.890 pessoas que enfrentavam problemas para dormir foram divididas em dois grupos. O primeiro, depois de passar pela terapia cognitivo-comportamental, que visa reduzir fatores comportamentais que levam à insônia, apresentou 20% menos risco de sofrer de ansiedade e depressão, além de noites de sono 50% melhores, em relação ao outro grupo que não recebeu nenhum tipo de tratamento.

Como estratégia da terapia, os participantes foram aconselhados a manter diários, para registrar a progressão do sono ao acordar, ouvir fitas de relaxamento e não utilizar a cama para outras tarefas além de dormir, por exemplo.

Causa, não sintoma

“Os problemas de sono são muito comuns em pessoas com distúrbios mentais, mas por muito tempo a insônia foi banalizada como um simples sintoma. Esse estudo transforma essa velha ideia, mostrando que a insônia pode contribuir para o surgimento de problemas da saúde mental”, disse Daniel Freeman, principal autor do estudo, em nota.

Toda noite, uma em cada três pessoas enfrenta problemas para dormir. Acredita-se que a falta de sono prejudique a saúde mental porque não permite que o cérebro processe as novas memórias adquiridas e organize as mais antigas – o que pode colocar a pessoa em um ciclo vicioso de pensamentos negativos e repetitivos. “Nosso estudo fornece evidências de que o sono é um fator importante na compreensão dos problemas de saúde mental”, ressaltou Freeman.

"Uma boa noite de sono realmente pode fazer a diferença na saúde psicológica das pessoas. Ajudar as pessoas a dormir melhor pode ser um primeiro passo importante para enfrentar muitos problemas psicológicos e emocionais", concluiu o pesquisador.

Dormir pouco x relacionamentos

Outro estudo, realizado pela Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, mostrou que casais que dormem pouco brigam mais. Após analisarem 43 casais, que estavam juntos entre três e 27 anos, e seus padrões de sono, os pesquisadores concluíram que os casais que eram mais propensos a ser hostis durante uma discussão, tinham um padrão de menos de sete horas de sono.

Isso não significa que aqueles que dormiam mais de sete horas por noite não discutam, mas o tom do conflito era diferente. “Quando as pessoas dormem menos, é um pouco como se elas olhassem o mundo através de lentes escuras. Seu humor piora. Elas ficam mais carrancudas. A falta de sono prejudica a relação.”, explicou Janice Kiecolt-Glaser, diretora de Pesquisa de Medicina Comportamental do Instituto Estadual de Ohio e líder do estudo,  ao jornal americano The New York Times.

A pesquisa revelou ainda que, além de propiciar conflitos no relacionamento, a falta de sono prejudica a saúde ao aumentar os níveis de proteínas inflamatórias no sangue após as brigas.

Por outro lado, os cientistas concluíram também que quando um dos parceiros da relação descansou mais, foi possível atenuar o efeito negativo da privação do sono no outro. Quando pelo menos um dos cônjuges estava descansado, havia menos probabilidade de se envolver em conversas hostis do que quando ambos haviam sido privados de sono.

Fonte: Veja

Edição: A.N.

0 comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

CAPTCHA AQUI

Nossos Programas